Quarta-feira, 4 de Junho de 2008

OS NOSSOS INIMIGOS

Por: Alfredo Nobre

 

 

Nao tenho pachorra para certos gajos!

 
Tentando olhar a frio para um veículo de duas rodas, algo de estranho nos virá de imediato à cabeça. Provavelmente colocando um qualquer destes veículos de locomoção à frente de um ser humano vindo dos mais remotos recantos do planeta, e que nunca tenha tido contacto com um veiculo motorizado, este o achará estranho, complicado, inútil, e sobretudo desafiador das mais elementares leis da gravidade. Se por outro lado o colocarmos em plena Daytona Beach, junto de muitos opositores (que também os por lá há) deste tipo de veículo mesmo habituadíssimos a ver os mais variados tipos, modelos, marcas ou conceitos de motociclo, se calhar a noção não variará muito. Continuaremos a ter opiniões suportadas por conceitos de inutilidade, de complicação, de estranheza e também o argumento do desafio das mais elementares leis da natureza, nomeadamente da célebre Lei da Gravidade de Newton. Então, com isto concluímos que acima de tudo não há argumento sustentável e material, quer para a defesa, quer para o ataque a este tipo de veículo.
A história da Humanidade e a história de vida de qualquer motociclista (pelo menos a minha) demonstram-nos claramente que por vezes é de pequenas coisas aparentemente inúteis que surgem grandes avanços para a humanidade. Para não falarmos da cisão do átomo, possível a partir da elaboração da famosa equação de Einstein (E=mc2), a qual não foi reconhecida no seu tempo, tendo este cientista germânico de ascendência judia sido distinguido pela comissão do prémio instituído pelo meu homónimo sueco, Alfred Nobel, não por este feito mas sim por outro sobre o qual hoje já ninguém fala, da Teoria Heliocêntrica de Galileu, percursor dos novos conceitos mecânicos ainda hoje aplicados nas mais diversas actividades, o qual foi perseguido pela inquisição e forçado a negar a verdade por si descoberta, dos segredos dos Templários que introduziram novos conceitos nos campos da construção, da navegação marítima da astronomia e da actividade económica, sendo-lhes atribuída a invenção do sistema bancário moderno com a criação do Cheque. Todas estes “pequenos” e aparentemente inúteis conceitos e descobertas, revelaram-se fundamentais para a existência da Humanidade nos moldes em que hoje vivemos.
Também em relação aos motociclos e seus utilizadores, muitas vezes, ainda hoje se tecem conceitos absurdos, provenientes de bocas (i)responsáveis que tentam de forma fanática e infundada, mostrando um desrespeito total pelos mais elementares e seculares princípios da liberdade individual, denegrir este meio de locomoção e seus utilizadores, fazendo do primeiro uma perigosíssima arma de morte, dos segundos assassinos loucos que apenas vivem para se autodestruírem ou destruírem aqueles que os rodeiam.
Num ponto estes senhores têm razão. Muitos de nós, e eu incluo-me obviamente nesses, sonham em destruir alguma coisa na sociedade. Não o direito à diferença e à liberdade natural de expressão que cada um tem por natureza. É de facto nosso objectivo (pacifico) e temos obrigação de o assumir, levar ao resto da sociedade que nos envolve aquilo que de bom tem o modo de vida de um Bom Motociclista. A generosidade que nos caracteriza, a alegria de viver e o fascínio pela liberdade, a preocupação com o bem-estar do próximo e respeito por ele, a capacidade de organização e a disponibilidade em partilhar, o desprendimento por bens de maior valor, a simplicidade no viver, valorizando mais a riqueza subjectiva da vida do que propriamente a acumulação de riquezas materiais, o podermos ser donos do nosso destino… Este é, e cada vez mais deve ser assumido conscientemente por todos aqueles que estão no Motociclismo, a essência das nossas vidas, como um baluarte que cada vez mais temos o dever de defender.
Desta forma, e porque alguns anos a envergar a camisola do Motociclismo, pelo menos desde os 12 anos e das primeiras provas (clandestinas) de Enduro em que participei, tenho observado que muitos dos que nos atacam se colocam a toda a hora ao nosso lado, usam Colete (mas estratégicamente sem pano), Andam de moto a indicar caminhos (mas desviam-se deles), dizem-se grandes mas nunca cresceram pois a forma com que se apresentam é ao cabo e ao resto e bem vistas as coisas apenas aquilo com que cresceram e foram educados baseados na exploração do próximo, do subalterno, do que lhes encheu os bolsos à custa do suor e da fome, aqueles que no fim disto tudo foram ameaçados, denunciados, torturados e mortos nos campos de concentração criados para o efeito. Para esses da falsa cátedra, das viagens fantasmas de moto, da teoria roubada, da charlatanice  a vender pratos e camas, com corpo de lobo, pele do ovelha, miolos de burro e talvez rabo de lince (entalado), existirá sempre alguém disposto a te-los em conta, a observa-los, a seguir-lhes o rasto, os passos que dão e que não dão, e sempre disponivéis, a bem do motociclismo, a evitar que causem mais problemas aos companheiros do que aqueles que já causaram.
É claro que aqueles que nos perseguem, não temem da nossa parte um ataque aos seus bens materiais, primeiro porque como acabei de referir, não é essa a razão do nosso viver, em segundo porque nos é indiferente a posse de algo material que é supérfluo e serve apenas como aforro de avarento. O maior perigo que os nossos inimigos vêm em nós, é tão simplesmente a nossa relutância em “ceder” às suas investidas contra o nosso direito em utilizar um motociclo. Temos todos o direito em nos afirmarmos, (ou não) claramente e sem rodeios como “MOTOCICLISTAS”, Se há rebeldia em nós, é uma boa rebeldia, nascida de dificuldades constantes, de espírito de sacrifício, de experiência de vida e de grande noção de comunidade.
Esta sim é a verdadeira questão que existe entre Motociclistas e anti-motociclistas. O que está em causa não é o fim, mas sim o meio, o que os preocupa nunca é a nossa segurança ou integridade, pois quando os chamamos à praça para que nos defendam real e concretamente na nossa integridade fisica e Humana, reparem bem, são sempre os primeiros a desviar os quartos traseiros, tipo besta quadrúpede e a abandonarem-nos à nossa mercê, estando contudo muito preocupados em participar na sociedade quando se trata de nos apontarem o dedo inquisitório sempre que algum de nós erradamente infringe alguma regra do código da estrada, ou se esquece de pagar o roubo legal que é o preço do IUC (Imposto Único de Circulação) e sempre com a boca sedenta de sangue e um prazer mórbido pela morte, cada vez que um companheiro tomba no asfalto, tantas vezes por culpa deles, que não respeitando a dor de ninguém, apenas conseguem reproduzir um “moral “ conselho tresandando a enxofre “estão a ver?... eu não dizia? essa merda é um perigo, rai´s parta as motos pá!”
Aqui nesta grande casa que é o mundo do MOTOCICLISMO, como em qualquer outra actividade decente, dispensamos estes ii (Imbecis Inutéis) e estaremos, acredito, daqui para a frente, tanto ou mais organizados e atentos como nunca e prontos a saber defendermo-nos convenientemente. Desta forma não será fácil destruírem as Motos e os Motociclistas, da mesma forma como se vão destruindo nações, é que acima de tudo as nossas armas são outras, as nossas são as da coerência, as da honestidade, da verdade, de simplicidade, a nossa verdadeira energia não brota de um negro poço de petróleo, brota da maior fonte que pode existir e essa mesmo depois de destruída continua a brotar e quantas vezes mais ainda e é tão simplesmente o coração que nos faz mover e nos faz sentir as motos como sentimos…

 

Uma óptima quarta feira para todos

 

Alfredo Nobre, membro DOG

 

tags:

publicado por Cavalo Alado às 00:12
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De PCSC a 4 de Junho de 2008 às 19:49
Alfredo Nobre, de facto esta crónica mexe com aquilo que acontece desde já ha alguns anos no mundo do motociclismo. O problema nunca foi o de se saber QUEM está, o problema é COMO SE ESTÁ, basta de fingir que tudo corre sobre carris, alguns faziam melhor em vender os seus artigos noutras feiras, aqui não!! embora ainda não conheças tudo sobre o mundo das motos vemos que estás no bom caminho, por isso não baixes a guarda porque todos necessitamos de ti e poderás sempre contar com todos. Os teus amigos de sempre....(non nobis, non nobis...)


De Nobilis007 a 5 de Junho de 2008 às 14:45
Assim se escreve em bom português...


Comentar post


Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


CALENDARIO DE EVENTOS

BLACK SABBATH 1ª Parte

BLACK SABBATH 2ª Parte

CALENDÁRIO DE EVENTOS

FREEBIRD

CALENDÁRIO DE EVENTOS

MISSA

CALENDÁRIO DE EVENTOS

ESTAMOS DE LUTO

CONCENTRAÇÃO FARO 2011

ambiente(4)

as dez melhores motos de sempre(10)

biker lady accessories(1)

breve história dos motociclos(6)

calendário(103)

campeões de motociclismo(2)

cavalo alado saloon(4)

cavalo de ferro (opinião)(10)

choque(1)

choque!(6)

comemorações(23)

concentrações(11)

dakar teck(17)

destinos(2)

ética(10)

galeria de arte(11)

gastronomia e culinária(11)

histórias de motociclistas(17)

humor(23)

jogos(2)

legislação(5)

lendas do motociclismo(7)

lêr(10)

lisboa-dakar 2008(2)

loja das motos do cavalo alado(3)

luis torres 006(11)

marcas(35)

mecânica(5)

modalidades(1)

modelos(18)

moto gp 2007(30)

moto gp 2008-equipas e pilotos(8)

moto gp 2008-provas(16)

o grupo dog(2)

opinião(42)

os anjos(2)

os nossos panos(12)

ouvir(29)

poesia(22)

r.i.p.(2)

recados(132)

sabia que...(9)

segurânça(16)

spain tour(4)

tipos de motos(6)

vêr(22)

todas as tags

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Abril 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Weather Forecast | Weather Maps