Quarta-feira, 24 de Dezembro de 2008

ARIEL 1

ariel wings emblem 1.gif

 

Relatar a história das motos Ariel parece à primeira vista uma tarefa fácil, dada a quantidade de informação disponível na net sobre este construtor britânico de motos, já desaparecido. Todavia, não encontrámos referência alguma a esta marca e ao seu historial em língua portuguesa, dai termos tido uma tarefa redobrada no sentido de verificar com mais cuidado a veracidade de informações recolhidas e que muitas vezes se contradiziam. Também foi mais complicada a recolha de informação sobre o período de vida desta marca antes de se iniciar no negócio das motocicletas, algo que acabou por nos fazer investigar mais afincadamente. Através da informação que fomos recolhendo, mais se aguçou o nosso gosto pela investigação directa e fomos construindo este artigo que agora aqui colocamos à disposição de todos, com base em preciosos documentos que fomos recolhendo (fotos, histórias, modelos, etc.) mas também baseado na muita análise que fomos fazendo sobre a marca. É que falar sobre esta ou aquela marca e colocar isso na rede implica, pensamos nós, a presença constante do máximo rigor. Rigor este que em primeira instância possa ser de utilidade a todos aqueles que se dedicam ao estudo deste tema, em segunda instância, faça com que o nosso trabalho seja cada vez mais credível e honesto de forma a sairmos prestigiados no final. De qualquer dos modos admitimos, como sempre, que possa existir algo que não eteja compativél com a verdade, nesse caso agradecemos que nos corrijam e assim nos ajudem a completar este tema. Então aqui vos deixamos com aquilo que de melhor conseguimos recolher e analisar sobre as fantásticas “ARIEL”!!
No final do século XIX, os projectistas de bicicletas James Starley e William Hillman inventaram rodas de aros com raios, permitindo-lhes construir uma bicicleta que pesava muito menos que os modelos da época. A dupla decidiu baptizar a sua bicicleta de Ariel. O nome foi usado por Shakespeare na sua peça “A Tempestade” que utilizou este nome para descrever o espírito de Mercúrio, o mensageiro dos Deuses. O porquê da terem escolhido este nome, isso é outra história…
Cem anos mais tarde, o nome continua associado a projecto inovador e excelência em engenharia.  
 
A FÁBRICA
 
The Ariel Factories circa 1928
 
As fábricas da Ariel situavam-se em Bournbrook, no sul de Birmingham. A Fábrica de Bournbrook foi construída em1896 junto da Estrada de Dale (ao cimo e à esquerda da foto). O complexo expandiu-se bastante até aos anos 20 e nesta época ocupou toda a zona norte da estrada de Dole até alcançar a estrada de Grange.
Em 1926 o endereço muda para Selly Oak, provavalemente motivada pelo facto da zona telefónica ser essa. Parte dos terrenos da fábrica foram vendidos em 1932, antes do colapso da banca. Em 1962 a BSA que controlava a Ariel encerra esta fábrica e transfere a produção dos modelos Arrow e Leader para o complexo que possuía em Small Heath. No ano de 2000 foi demolido tudo o que restava deste magnifico empreendimento e os terrenos serviram para construir alojamentos para os estudantes de uma Universidade vizinha.
 
1930 Postcard of the Factory
Fábrica de Selly Oak em 1930
 
Fábrica de Selly Oak em 1936
 
Fábrica de Selly Oak em 1937
 
Fábrica de Selly Oak em 1939
 
Ariel Factory
Fábrica de Selly Oak em 1950
 
Fábrica de Selly Oak em 1953
 
Ariel Factory
 

  

ariel round emblem 2.gif

 

Da Roda Ariel Smith-Starley, ao Triciclo Ariel

 
A companhia remonta a antes de 1847 quando a Ariel construía uma espécie de pneus para revestir o rodado de carros puxados por animais. O nome Ariel foi mantido por James Starley e William Hillman em 1870 quando inventaram a roda com raios e aro.
Em meados do século XIX as bicicletas eram construídas em ferro e madeira. As rodas eram parecidas ás das carroças e eram construídas em madeira com aro em ferro. Tornavam-se desconfortáveis e pesadas e eram conhecidas na Inglaterra pelo nome de “boneshakers”, que traduzido significará qualquer coisa como “sacode ossos”. Um avanço colossal viria a dar-se quando o aro metálico passou a ser revestido com borracha. James Starley iniciou a sua revolução no mundo das bicicletas em 1870 quando se associou a William Hillman, que mais tarde viria a ficar famoso no mundo dos automóveis.
 
  
James Starley aos 23 anos de idade e William Hillman.
 
  
Registo da marca em 1869 e 1871 respectivamente. Repare-se já no cavalo com cavaleiro do primeiro simbolo.
 
Em 1871, James Starley e William Hillman desenvolveram um novo tipo de roda. Esta inovação baseava-se em raios distribuídos pela roda e ligados ao núcleo, com dois esticadores para manter a tensão. Baseados nesta roda inovadora, James Starley e William Hillman construíram a sua própria bicicleta que tinha como característica possuir uma roda bastante maior á frente co que atrás. Este novo veiculo viria a ficar conhecido por “Ariel”.
Para além de aplicarem a sua roda nas suas bicicletas, estes construtores vendiam-nas ainda a outros fabricantes.
A família Starley obteve um papel determinante no desenvolvimento da bicicleta e na sua difusão a partir da sua empresa, a Coventry Machinists, Rover. O nome “Ariel” divulgou-se ao ponto de surgirem mais fabricantes como em Selly Oak, que o utilizavam até que Charles Sangster o regista em 1896.
Em finais de 1872 a dupla James Starley e William Hillman decidiu trilhar os seus caminhos em separado. William Hillman inicia uma apoteótica carreira no mundo dos automóveis enquanto que James Starley continuou ligado ao mundo das bicicletas, continuando sempre a inovar e a ganhar concursos e a bater recordes de velocidade. Acaba por montar um negócio com os seus filhos, Starley tinha também interesses no ramo das máquinas de costura.
Little Europa (1)
Por fim em finais de 1880 as bicicletas Ariel são adquiridas pela Sociedade Rudge Whitworth que era nada mais nada menos que um conglomerado de pequenas empresas dedicadas ao fabrico de bicicletas, doas quais os principais eram a Rudge Cycle e a Whitwort Cycle co. Nesta altura parecia que o nome Ariel tinha definitivamente desaparecido.
O nome é de novo utilizado no início do ano de 1890, registado como marca de um pequeno número de bicicletas produzidas. Todavia nesta época apenas existia um fabricante de pneus para bicicletas de nomeada, a Dunlop. Este pneu deveria tornar-se standard para todas as bicicletas produzidas no reino unido. A bicicleta era o meio de transporte das massas e este era um negócio fabuloso para a Dunlop. Ao mesmo tempo que se dedicava aos pneus, e após ter obtido licenciamento para isso, a Dunlop retoma o fabrico de bicicletas, despertando assim a Dunlop Cycle co, após dois anos de hibernação em que se concentrara no fabrico de pneus.
Como podem imaginar isto causou grandes perturbações no seio da indústria ciclista. Os outros fabricantes não viram com bons olhos o terem que adquirir componentes de um concorrente e ainda por cima terem que lhe fazer publicidade gratuita. Esta também se tornou uma situação incómoda para a própria Dunlop Cycle co, a ponto de escolher outro nome para a sua linha de fabrico de bicicletas. Charles Sangster in 1898A questão estava em decidir que nome dar aos seus produtos. A preferência recaía sobre um nome já ligado à Dunlop. A Ariel era já um nome ligado à Dunlop pela aquisição de uma parte da companhia por James Starley (imagem à direita) e pela utilização dos pneus.
A comparação entre a produção da Dunlop e da Ariel deixava perceber muitos pontos em comum entre os dois. Isto era importante para manter a ligação subconsciente entre as duas companhias, e o resultado imediato foi o surgimento da Ariel Cycle Company.
Durante a década a seguir a 1890 existiu um Império fragmentado sob o nome de Cycle Component Manufacturing. A Cycle Component não era mais do que uma amálgama de pequenos fabricantes de bicicletas e como o próprio nome indica, dedicavam-se ao fabrico de componentes para este tipo de veículos. Esta sociedade adquire a Ariel Cycle Co em 1897 e a desloca a produção para a sua fábrica de Dale Road, sede da empresa. É aqui que nasce a primeira Ariel com motor. Trata-se de um triciclo motorizado lançado em 1898, ao qual se seguiu em 1901 a primeira motocicleta Ariel a qual possuía um motor Minerva de 211cc. 

 

 

 

Este anuncio de 1897 demonstra que as bicicletas Ariel continuavam a ser fabricadas em Coventry mesmo depois de serem construidas as instalações de Birmingham

 

Certificado de venda emitido em nome de Mrs. Sarah Ann Surrall 155 Alcester Road, Moseley, Birmingham a 23 de Abril de 1920. As senhoras eram bons clientes da marca.

 

O TRICICLO
 
A Ariel foi um dos nomes pioneiros na indústria dos motociclos em Inglaterra. Já em 1890 construía triciclos equipados com o famoso motor de De Dion com 2,25cv. Nesta época todos os Triciclos eram praticamente iguais, não se destacando qualquer inovação entre os diversos fabricantes, o motor era aplicado na traseira do veiculo, facto que em muito contribuía para a dificuldade em controlar estes triciclos.
O triciclo Ariel era equipado com um motor De Dion simples montado na traseira, que inicialmente debitava 2,25 cv . Devido a esta colocação do propulsor a condução destes veículos tornava-se bastante difícil, exigindo uma perícia apurada por parte do condutor. Se repararem com atenção, nalgumas fotos o modelo aparece com um depósito colocado atrás do selim do condutor. Este reservatório era cheio com água e servia apenas para criar uma protecção ao calor gerado pelo motor, ao mesmo tempo que ajudava a equilibrar o veiculo quando em movimento. Estas características adicionadas ao facto do triciclo apenas poder transportar uma pessoa foram fazendo com que este veiculo fosse cedendo terreno para os motociclos. No inicio do século XX os triciclos faziam já parte do passado, o novo século daria maior atenção aos motociclos.
 
 
Dois modelos de triciclos Ariel, porque o da direita possui reservatório na traseira partimos do principio de que será o mais recente
 
tags:

publicado por Cavalo Alado às 02:51
link do post | comentar | favorito
|


Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


CALENDARIO DE EVENTOS

BLACK SABBATH 1ª Parte

BLACK SABBATH 2ª Parte

CALENDÁRIO DE EVENTOS

FREEBIRD

CALENDÁRIO DE EVENTOS

MISSA

CALENDÁRIO DE EVENTOS

ESTAMOS DE LUTO

CONCENTRAÇÃO FARO 2011

ambiente(4)

as dez melhores motos de sempre(10)

biker lady accessories(1)

breve história dos motociclos(6)

calendário(103)

campeões de motociclismo(2)

cavalo alado saloon(4)

cavalo de ferro (opinião)(10)

choque(1)

choque!(6)

comemorações(23)

concentrações(11)

dakar teck(17)

destinos(2)

ética(10)

galeria de arte(11)

gastronomia e culinária(11)

histórias de motociclistas(17)

humor(23)

jogos(2)

legislação(5)

lendas do motociclismo(7)

lêr(10)

lisboa-dakar 2008(2)

loja das motos do cavalo alado(3)

luis torres 006(11)

marcas(35)

mecânica(5)

modalidades(1)

modelos(18)

moto gp 2007(30)

moto gp 2008-equipas e pilotos(8)

moto gp 2008-provas(16)

o grupo dog(2)

opinião(42)

os anjos(2)

os nossos panos(12)

ouvir(29)

poesia(22)

r.i.p.(2)

recados(132)

sabia que...(9)

segurânça(16)

spain tour(4)

tipos de motos(6)

vêr(22)

todas as tags

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Abril 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Weather Forecast | Weather Maps