Quarta-feira, 4 de Março de 2009

MOTOS...MOTOCICLISTAS...

Por: Alfredo Nobre

 

 

Penso que mais ou menos vezes, de uma forma ou de outra, já todos nós demos connosco a pensar em moto quatros e inevitavelmente nos surge a questão; “As moto quatro são motos?”
Segundo a Directiva 92/61/CEE do Conselho, de 30 de Junho de 1992, surgem algumas definições para os veículos de duas e três rodas e na única referência a veículos de quatro rodas estes são apelidados de quadriciclos.
 
- ciclomotores, ou seja, os veículos de duas ou três rodas equipados com um motor de cilindrada não superior a 50 cm³, se se tratar de um motor de combustão interna e com uma velocidade máxima de projecto não superior a 45 km/h,
 
- motociclos, ou seja, os veículos de duas rodas com ou sem side-car equipados com um motor de cilindrada superior a 50 cm³, se se tratar de um motor de combustão interna, e/ou com uma velocidade máxima de projecto superior a 45 km/h,
 
- triciclos, ou seja, os veículos de três rodas simétricas equipados com um motor de cilindrada superior a 50 cm³, se se tratar de um motor de combustão interna, e/ou com uma velocidade máxima de projecto superior a 45 km/h.
 
Embora para efeitos legais o regime a que se refere esta directiva enfie no mesmo saco motociclos, ciclomotores, triciclos e quadriciclos, o mesmo diploma define tecnicamente cada um deles e separa-os pelas suas características. Então e se nos quisermos guiar exclusivamente por este documento, será difícil chegar a uma conclusão rigorosa.
 
Uma consulta na Wikipédia dá-nos a seguinte definição:
 
“O motociclo, ou motocicleta (também conhecida simplesmente por moto ou ainda mota exclusivamente em Portugal) é um veículo de duas rodas com um motor que propicia sua movimentação capaz de desenvolver velocidade de cruzeiro com segurança e conforto. É um meio de transporte bastante utilizado devido ao mais baixo consumo de combustível e por ter um preço mais acessível que a maioria dos automóveis. Entretanto, há motos que consomem mais combustível do que muitos automóveis, variando, entre outros fatores, com a cilindrada do motor.”
 
Já o Wikcionáro dá-nos esta definição para motocicleta:
 
veículo com duas rodas, semelhante a uma bicicleta, mas motorizado.
 
Bem, as definições de Motocioclo ou Motocileta são abundantes na web e fora dela, e mesmo noutro dia conversando com um amigo praticante de TT em quad (moto quatro) chegámos facilmente e depressa à conclusão de que uma moto quatro nada tem que ver com uma moto. Também concordámos que a moto quatro será um veiculo desenvolvido a partir de um motociclo, tal como o motociclo é um veiculo desenvolvido a partir de uma bicicleta.
Então será fácil entender que um motociclo possui duas rodas e em casos excepcionais poderá ter três. Um motociclo não deixa de perder a sua personalidade simplesmente porque possui um side car acoplado, nem por lhe ter sido aplicado um conjunto de duas rodas no lugar destinado à roda motriz (roda traseira). Também, pelo contrário, algumas experiências com motos de tracção dianteira, não as transformam em “não-motos”.
Será sempre difícil definir qual o conceito de moto ou de moto quatro, admito que a discussão exista e se desenvolva, mais, espero que a discussão se desenvolva, isso será o melhor contributo para a definição do que são afinal motociclos e do que não são.
A minha opinião é simplesmente uma. Tudo aquilo que tenha quatro rodas é automóvel ou quando muito quadriciclo.
Então se admitirmos a minha teoria de que motociclo é um veiculo de duas ou excepcionalmente de três rodas, será fácil chegar à conclusão de que moto quatro não é moto!
Quanto a este ponto, e ressalvando o direito à resposta de cada um, estamos entendidos. Mais difícil será tratar do ponto seguinte…ou talvez não!
Visto então aquilo que entendo ser uma moto, chega o momento de saber o que é afinal um motociclista.
Se pesquisarmos na net sobre este conceito, bem…. Provavelmente só encontraremos lixo, como eu encontrei, e se formos para o terreno e nos cruzarmos com algumas “entidades” o nível do lixo pode até baixar ao nível do dejecto.
Adiante! Penso ser mais do que óbvio que a definição mais correcta de motociclista será a de um indivíduo que utiliza de forma regular um motociclo. Então, todos nós que nos deslocamos sobre duas rodas somos motociclistas.
É claro que não basta ter estrategicamente e bem acondicionada uma moto em casa para sair de vez em quando e muitas vezes ao sabor de interesses pessoais, para se ser considerado motociclista, esses para mim são simplesmente proprietários de moto ou quando muito, nome de que muito gostam, serão “motards”
Então, pensarão muitos que pertenço a um grupo de pessoas que defende que a moto serve para tudo e mais alguma coisa e que um motociclista não vai para lado nenhum sem levar a sua moto. Balelas! tretas de quem nada percebe de motos! É natural que por mais que goste e prefira a utilização da minha moto em detrimento de outros meios de transporte, entendo que situações existem em que a utilização de um carro, de um comboio, de um barco ou de um avião me são largamente desfavoráveis, para não dizer impossíveis. Como poderia eu dar um dia umas voltas na minha moto pela ilha da Madeira se não recorrer à utilização de um barco ou de um avião!?
Bem, isto afinal não é o mais importante. Talvez o mais importante mesmo, e sobretudo na época que atravessamos será saber quem são os motociclistas de fibra que temos por ai e o que podemos ou não contar com eles.
Muitas foram sempre as formas que cada indivíduo utilizou para se manifestar ou afirmar enquanto motociclista. O conhecimento mínimo da história do motociclismo permite-nos destacar alguns pontos fulcrais para o desenvolvimento dos motociclos, e consequentemente do conceito de motociclista:
 
1886 a 1900- Depois da descoberta do motor de combustão interna, este viria a ser aplicado com muito sucesso em bicicletas. Deixámos de ter ciclistas e passámos a ter MOTOCICLISTAS.
 
1914-1918 e 1940-1945- O período das duas Grandes Guerras. Se na primeira o motociclo entrou como veiculo experimental e foi utilizado sobretudo como substituto de uma arma de Guerra que hoje já não existe, a chamada “cavalaria ligeira”, mais adequada a missões de pequena dimensão operacional e como meio de patrulhamento e elo de ligação ao nível das comunicações, já na Segunda guerra a moto foi um elemento decisivo no desfecho do conflito, tendo permitido uma fácil deslocação de homens e meios, sobretudo em termos de ataque rápido (voltou a ter um papel de cavalaria ligeira).
 
1918 a 1940- No período entre s duas guerras mundiais, a motocicleta desenvolveu-se a pssou a ter um staus de grande transporte. A par das soluções mais económicas e populares desenvolveram-se nomes de prestigio apenas acessíveis na época a algumas bolsas. Popularizam-se as corridas de motos e dá-se uma explosão de clubes tanto na Europa como nos Estados Unidos. Marcas como a Brough Superior e BMW afirmam-se nesta época, apresentando modelos de sonho…ainda hoje.
 
1940 a 1960- Após o fim da Segunda Guerra Mundial, proliferam os Moto Clubes nos Estados Unidos. Na Europa surgem motos de menores dimensões servindo como veículo económico de transporte para operários. É o tempo de poupança e de crise e as scooters imperam. Surge o primeiro campeonato do mundo de velocidade, nos Estados Unidos vivem-se tempos conturbados de perseguição aos clubes não federados, surge o conceito 1%. Já do outro lado do mundo, o Japão prepara-se para atacar o mercado das motos em força.
 
1960 a 1980-O conceito Biker amadurece nos Estados Unidos. Na Inglaterra vivem-se os anos das disputas entre Rockers e Moodies com episódios de alguma violência pelo meio sempre com o mítico ACE Café e Londres como pano de fundo. Em França, Pela mão de Tyerry Sabinne surge a mais longa prova desportiva sobre duas rodas, o saudoso Paris Dakar.
 
1980 até hoje. As motos conquistaram definitivamente o seu lugar no quotidiano de milhões de cidadãos em todo o mundo. Hoje muitos serviços públicos não dispensam a sua presença e muitas empresas têm nas motos a sua base de sobrevivência. A indústria de fabricação de motos galopa de dia para dia e são hoje muitos os cidadãos que não dispensam a utilização de um motociclo no dia-a-dia.
 
A facilidade relativa com que a partir de dado momento se começaram a adquirir motociclos, originou um congestionamento caótico na forma como os motociclistas se começaram a organizar e a encontrar. Claro que num meio tão rico, não só em termos humanos como em termos materiais, depressa surgiram no meio do rebanho alguns lobos dispostos a devorar a ovelha mais distraída. Popularizaram-se concentrações por todo o lado, organizam-se provas
desportivas pela mão de entidades que nada têm que ver com o mundo das DUAS RODAS, nasceram clubes como cogumelos em esterco de cavalo. Os panos já não se conquistam, compram-se, alguns em promoção, como já vi. Surgem motoclubs virtuais por toda a parte onde os membros nunca se cruzam. O maior clube do mundo, HOG possui membros que não se conhecem nem sequer se cumprimentam na estrada. Tudo vale em nome do lucro rápido e fácil, sempre branqueando a coisa com o sagrado nome do MOTOCICLISTA. Surgem teóricos, profetas, adivinhos e filósofos por toda a parte. Todos os meios são utilizados para fazer passar a mensagem do carneiro em cima de duas rodas: “alinha e serás poupado” . Inventam-se tretas e difamam-se companheiros sem direito a defesa, foge-se ao imposto e recebe-se uma medalha do Presidente. Contam-se histórias, nomeiam-se locais onde nunca se esteve, tudo vale para fazer crer aos menos “batidos” que se é superior, tudo serve para vender, desde a moral a queijo, presunto, e dormidas em quartos aquecidos. A garagem já não é um local destinado a acomodar veículos, passou a ser dormitório de familiares, porque o que interessa não é receber um companheiro, é receber-lhe a carteira. E se o tipo nem sequer moto tem ou nela anda… no problem! Basta ter o tal do espírito e tá tudo resolvido. Como se os espíritos fossem invocados por decreto. A algazarra é tal que passa um desgraçado numa camioneta e arrisca-se a que lhe chamem… motociclista!
Lembra-me Almeida Garreth quando a propósito da atribuição indiscriminada do Titulo de Barão dizia: -
Foge cão, foge cão, que te fazem Barão!
-Para onde? para onde?
-Foge que te fazem Conde!
O respeito que todos os motocilistas de Alma me merecem, faz com que aceite qualquer opinião ou conceito, mas chamarem motociclista a quem nunca sentiu um motor a vibrara entre as pernas!!! Com franqueza!
De resto, eu cá continuo na minha, Moto com quatro rodas !!!!??
 
É carro!
 

Uma boa quarta feira para todos!

Alfredo Nobre, membro DOG 003

 

tags:

publicado por Cavalo Alado às 00:27
link do post | comentar | favorito
|


Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


CALENDARIO DE EVENTOS

BLACK SABBATH 1ª Parte

BLACK SABBATH 2ª Parte

CALENDÁRIO DE EVENTOS

FREEBIRD

CALENDÁRIO DE EVENTOS

MISSA

CALENDÁRIO DE EVENTOS

ESTAMOS DE LUTO

CONCENTRAÇÃO FARO 2011

ambiente(4)

as dez melhores motos de sempre(10)

biker lady accessories(1)

breve história dos motociclos(6)

calendário(103)

campeões de motociclismo(2)

cavalo alado saloon(4)

cavalo de ferro (opinião)(10)

choque(1)

choque!(6)

comemorações(23)

concentrações(11)

dakar teck(17)

destinos(2)

ética(10)

galeria de arte(11)

gastronomia e culinária(11)

histórias de motociclistas(17)

humor(23)

jogos(2)

legislação(5)

lendas do motociclismo(7)

lêr(10)

lisboa-dakar 2008(2)

loja das motos do cavalo alado(3)

luis torres 006(11)

marcas(35)

mecânica(5)

modalidades(1)

modelos(18)

moto gp 2007(30)

moto gp 2008-equipas e pilotos(8)

moto gp 2008-provas(16)

o grupo dog(2)

opinião(42)

os anjos(2)

os nossos panos(12)

ouvir(29)

poesia(22)

r.i.p.(2)

recados(132)

sabia que...(9)

segurânça(16)

spain tour(4)

tipos de motos(6)

vêr(22)

todas as tags

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Abril 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Weather Forecast | Weather Maps