Sexta-feira, 8 de Junho de 2007

O Sr. Joaqum (Homenagem a seu Filho)

NOTA: Este BLOG Prima pela veracidade dos conteúdos, pela trânsparência e pela liberdade de opinião, contudo os factos abaixo relatados, por serem veridicos e vividos directamente por mim não me permitem o direito de expôr outras pessoas sabendo que com isso possa advir algum desconforto para com elas. Por este facto tanto a foto apresentada como o nome das pessoas descritas são ficticios e nada têm a vêr com a situação descrita.

 

 

Um dia, um certo dia numa destas concentrações, ou convívios, ou sei já lá eu o que foi, surgiu perante mim uma figura tão deplorável quanto sã como eu…o Senhor Joaquim(nome fictício) O senhor Joaquim trazia consigo uma raiva incontida que depressa descarregou sobre este simples cão. Talvez porque algo ou alguma coisa (e estas duas palavras são bem diferentes) lhe teria chamado a atenção em mim. A principio, eu estupidamente entendi que seria alguma coisa…talvez o meu indefectível lenço na cabeça…ou o meu colete estranhamente de cor branca, ao contrário do que é normal nos outros meus companheiros…ou seria a minha manta (cobertor) que é apenas um apêndice físico da minha condição de vagabundo do asfalto!!

Senti que o Sr. Joaquim fazia parte de outro mundo que não o meu, um mundo de frieza, superficialidade, futilidade e pouco conhecimento do que é o mundo das duas rodas. O Sr. Joaquim tratou de se apresentar a este humilde DOG com a arrogância normal de um bom cão vadio, mordendo por vontade de morder, implicando por vontade de implicar, ofendendo por vontade de ofender…O Sr. Joaquim, como estive enganado durante todo este tempo…surgiu perante mim procurando algo que eu não soube dar…procurando talvez neste humilde comedor de asfalto uma ajuda para um mal que eu não soube entender…O Sr Joaquim procurou em mim algo e eu não entendi que procurasse… O Sr. Joaquim disse-me que o seu único filho lhe tinha pedido uma motocicleta quando acabou o liceu e estava em vias de entrar para a Faculdade, o Sr. Joaquim falava com os olhos vermelhos, não sei se do álcool que tinha ingerido se do orgulho que tinha no seu filho, O Sr Joaquim falou que o seu filho era o melhor dos filhos, o melhor dos colegas, o melhor aluno e o melhor rapaz do bairro onde morava, que o seu filho era sempre o”passaporte “ para outros rapazes poderem sair `a noite, era um rapaz às direitas, O Sr. Joaquim falou-me de como o seu filho ficou triste e de olhar negro desde esse dia em que tinham brigado por causa desse desejo de ter um motociclo, como o seu filho tinha virado um ser negro e triste desde esse momento, de como nada tinha conseguido fazer para o voltar a ter de volta nessa atitude de alegria e pureza que ele tinha tido até então. O Sr. Joaquim falou-me de como o seu filho se tornou distante de si e da sua família e tinha começado a andar acompanhado por gente pouco recomendável e que o tinha levado noutra viagem sem moto da qual nunca mais voltou. O filho do Sr. Joaquim morreu de overdose já há dois anos… O Sr. Joaquim disse-me isto tudo com esses olhos distantes e vermelhos naquela hora em que já não é normal entender estas coisas. O Sr. Joaquim teve por duas vezes essa rara coincidência de ter falhado duas vezes, a primeira por culpa sua, por não ter entendido o seu filho motociclista que na verdade morreu por esta causa…o Sr Joaquim teve outro azar na sua vida por ter confiado num DOG que ainda não sabia que o era. Por isso lhe peço, Sr. Joaquim, Perdoe-me com todo o amor que sei que o seu coração tem por não o ter sabido ouvir…como o seu filho lhe perdoou a si.

 

A Paz pela Paz e Tudo pelo Motociclismo!

 

Alfredo Nobre(DOG) 8-6-2007


publicado por Cavalo Alado às 23:33
link do post | comentar | favorito

Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30