Quinta-feira, 23 de Agosto de 2007

SANDRA NABAIS

O Meu amigo Armando do Moto Clube de Mourão escreveu este comentário na página de Hi5 da Sandra Nabais de Castelo Branco. Não farei qualquer comentário propositadamente afim de que seja o leitor a fazer livremente a sua reflexão.

Um mail do Ernesto Brochado da Federação Nacional de Motociclismo, boa, é que este ano o Grupo Motard de Mourão vai dar uma mão á organização do Portugal de Lés a Lés no segundo dia deste evento nacional ao ajudar os participantes da caravana a passar o rio Ardila. Estou super entusiasmado, acho que lá devíamos estar todos a fazer a festa....mas....infelizmente nem todos lá vamos poder estar, há uma amiga motard que devido a um acidente se encontra numa cadeira de rodas e não tem suporte financeiro para se deslocar de Castelo Branco a Mourão para poder estar e conviver com o mundo das duas rodas que ela continua a adorar. O caso desta amiga de Castelo Branco, a Sandra Nabais que tem que sobreviver com

uma "pensão" de 200 e poucos euros infelizmente não é único. Mais grave é a Sandra procurar desesperadamente por um emprego para que se possa sentir útil e ter uma independência financeira e até ao momento ninguém lhe ter dado uma oportunidade. ATÉ QUANDO é que o nosso governo vai considerar os motards como simples fundo de maneio fiscal (selo). ATÉ QUANDO é que os órgãos responsáveis por pessoas como a Sandra vão virar as costas a todos quantos necessitam e imploram por uma oportunidade. ATÉ QUANDO é que os Srs. da Assembleia nos vão tratar como bandidos cada vez que nós lhes pedimos que as condições das nossas estradas sejam melhoradas para beneficio de todos os motards e não só. ATÉ QUANDO é que os nossos meios de comunicação vão aproveitar as nossas concentrações para fazer a noticia e que jamais num talk-show esteve um motard acidentado (que eu tenha conhecimento) a fim de divulgar as suas dificuldades, sonhos, aspirações, medos. ATÉ QUANDO é que certos Srs. apenas pensam em nós como "uns malucos que andam a fazer corridas e são perigosos"? Se um miúdo se mete comigo quando vou de mota e uma velhota me sorri creio que nós motards até não somos tão mauzinhos como nos pintam. Se eu como muitos outros nos preocupamos com questões de segurança e com amigos que precisam é porque dentro de nós até existe camaradagem e sentimentos. Este email não se destina a acusar ninguém de nada, não foi elaborado de apontar o dedo a este ou aquele, este email destina-se a apelar ao espírito de família, camaradagem, amizade e ás capacidades pessoais e colectiva que cada um de vós detêm para que possamos alertar a sociedade para problemas e vidas pessoais alheias e que precisam do nosso carinho e apoio. Agradeço desde já que divulguem este mail (caso se identifiquem com o conteúdo do mesmo), por todos os vossos contactos, meios de televisão e rádios e quem sabe se entre todos podemos fazer a diferença dando oportunidade a quem necessita de terem voz a nível nacional. Um abraço a todos.

 

QUE O ALCATRÃO NOS MANTENHA SEMPRE UNIDOS

 

 

A minha amiga Sandra comentou este texto da seguinte forma na sua página do Hi5 em

 http://www.hi5.com/friend/109925395--Sandra--Profile-html

 

Ya sou + 1 vitíma neste mundo de cão «ya no meu caso cão femenino eheheh0»pois tive acidente de mota e de carro explico: eu ía a dar 1  volta de mota esta embateu num carro eu fui cuspida e atropelada por um carro DIZEM MAL DOS MOTOCICLISTAS PK????? Se na realidade eles até se desviam de um animal para ñ matar seres vivos qd ao invés este automobilista ñ me matou pq th a protecção Divina mas deixou-me em coma 4 meses sempre a dormir e até hoje  no se sabe quem foi o herói por isso se tá a ler isto eu como sou boa pessoa ESTÁ PERDOADO. Mas ñ repita ok??? 

 

 

 

A Sandra Nabais enviou-me um mail contando a sua história, o mesmo segue a seguir na integra, salvo algumas correcções que entendi fazer para que a compreensão do mesmo se faça da melhor forma. Lembro que a Sandra tem uma prótese na perna esquerda e não consegue movimentar o braço do mesmo lado, o que lhe dificulta, naturalmente a escrita.

 

Oi amigo tudo bem? Assim espero vou-te contar um pouco da minha história ok? Estávamos no dia 10 de Dezembro devia tar um briol do caraças porque estava a chuviscar mas eu adoro andar com os caracóis «cabelo dahhhhh» molhados e o namorado da minha irmã tinha comprado uma NSR 125 e foi lá a casa para a minha irmã experimentar a coisa mas como ela é mais delicada que eu e estava a chuviscar disse não, eu saltei logo para cima dela e fui.

Bem ele era irresponsável para além de não ter carta nem seguro pensava que a estrada era toda dele passava tudo quem quisesse que se desviasse, chegou a um ponto que no consegui desviar a mota e embateu contra um carro eu fui cuspida e nisto atropelada por um carro que circulava no sentido inverso deixou-me em coma e fugiu. Ó pá é isto que defendo não é por ser motard que se é doido porque um automobilista passou por cima de uma pessoa e deu ao slide ó pá eu fui vítima de negligência a todos os níveis de quem conduzia a mota, o carro e até profissionais ou ditos profissionais de saúde isto porque fui para o hospital central de Coimbra «Hospital Universitário» onde entrei quase morta por isso meteram-me numa cama ligaram-me o ventilador dava-me o básico e pensaram há-de ser por pouco tempo passou 1 mês e eu estava lá há 2,3 ou seja passei natal e ano novo com os anjinhos…(ui coisa boa isto!) porque entrei em coma no dia 10 de Dezembro de 1995 e acordei a 13 de Abril de 1996, eu continuava lá «hihihi comigo ninguém goza» mas eles já tinham em mente mandarem-me pós anjinhos chegou aos 3,5 meses ligaram para a minha mãe a dizer que tinham de desligar o ventilador se o desligavam eu morria mas eu estava a vê-los no dia que tentaram desligar as maxines eu devia tar a falar comigo, olha-me estes troles querem mandar uma xavala de 19 anos pó céu e a pé? LOL k venham eles porque eu nem ando «ironia». Bom Fredinho hoje o que sinto dificuldade é em ser reinserida no mundo profissional, a nível de descriminação não sou porque não dou hipóteses para me discriminarem, eu saio de casa numa cadeira de rodas eléctrica e penso que não sou sujeita a pena, sim criei respeito sobre mim não medo de nada não me calo quando há alguma injustiça comigo ou com pessoas mais indefesas do que eu.

Posso dizer que é difícil deitarem-me abaixo qualquer duvida basta perguntares bjka amigo.

Sandra Nabais, Castelo Branco


publicado por Cavalo Alado às 01:25
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De maria jose a 9 de Dezembro de 2008 às 19:45
oi miuda tivestes sorte saistes viva mas ha muita gente que nao respeita quen anda de mota eu ando e tanben de carro o que euacho que toda a gente que anda de carro devia primeiro andar de mota que muitos acidentes sao por culpa de outros ou por nos ultrapassan encostados a nos e nos mandao para o chao xau e muita foça


Comentar post

Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30