Segunda-feira, 27 de Agosto de 2007

OS MOTOCICLOS (colecionavél)

Fasciculo 2

OS PRIMÓRDIOS

1790-Celerifero, França.

A luz verde do transporte em duas rodas acendeu primeiro na França, em 1790, quando o criativo (e riquíssimo) Conde de Siyrac uniu duas rodas do mesmo tamanho por meio de uma pequena tábua de madeira, onde o "condutor" se sentava e que tomava a forma de animais tais como cavalos, aves ou serpentes, embora os detalhes fossem pobres. Não possuindo pedais, este veículo era movimentado apoiando alternadamente os pés no chão. O estranho veículo, baptizado de celerífero, foi sucesso imediato e logo virou mania, especialmente entre a "jovem guarda" de então, apesar das dificuldades para apontá-lo na direcção desejada...Cinquenta anos mais tarde, o inglês Lawson (seria um ancestral do norte americano Eddie Lawson?) inventa a transmissão por corrente e o selim (ufa!), ao passo que em 1885 é lançada a lendária Rover, de J. J. Starley, a grande sensação entre os poderosos da Europa. Reis, rainhas e imperadores não dispensavam um "rolé" de Rover, um brinquedo caro, mas de grande potencial como meio de transporte, especialmente nas descidas...

Figura 4. O Celerifero podia assumir diversas formas, para além do exemplar representado em forma de leão, eram construidos em forma de ave, serpente, crocodilo, cavalo, etc. 

"MOTOCICLOS" ANTERIORES A 1885

1818-Draisiene, ou "Velocipedraisiavaporianna",

Alemanha e França.

Em 1817, um nobre alemão, o Barão Drais Von Sauerbronn aperfeiçoou o celerífero, instalando um eixo vertical e um "garfo" na roda dianteira, o que permitia "guiar" o engenho. Ele rebaptizou o veículo como Draisiene, e vendeu muitas unidades da sua versão "franco-alemã" da bicicleta. Logo depois apareceu o biciclo, um primitivo velocípede, outra tentativa de invenção do Barão Drais, com roda traseira de diâmetro diferente, para que a rudimentar pedalada rendesse mais impulsão ao veículo. 

Figura 5.Karl Drais (Karlsruhe, 29 de Abril de 1785 – 10 de Dezembro de 1851), cujo nome completo era Karl Friedrick Christian Ludwing Van Sauerbroun Drais.O inventor da Draisiene

Figura 6. Esta gravura francesa da colecção do Museu da Ciência de Londres na Inglaterra mostra o ensaio efectuado a cinco de Abril de 1818, nos Jardins do Luxemburgo em Paris, do engenho de concepção germânica, denominada “hobby horse” ou “Draisiene” que consistia numa bicicleta de madeira,

No século XIX, em plena era industrial, a engenharia europeia tentava de tudo para motorizar a bicicleta (ou qualquer coisa que se movesse). Os motores já existiam, mas eram estacionários, enormes e de funcionamento precário. Os propulsores "funcionavam" tendo como "combustível" a pólvora, ar comprimido, electricidade (com baterias), acetileno, corda (tipo relógio), a gás ou a vapor. Eram engenhocas gigantescas, impróprias para montagem em veículos, a tracção animal ainda era o meio de transporte do momento...

Figura 7. A Cinosfera de 1818, este estranho triciclo recorria à tracção de dois cães fechados em duas rodas esféricas laterais.

1868-1869-Velocípede a Vapor Michaux-Perreaux,

França.

Louis-Guillaume Perreaux constrói um velocípede a vapor. Esta máquina era na realidade um velocípede sobre o qual se instalou um motor monocilindrico a vapor. Procurava-se que o condutor não se cansasse tanto. Baseada na bicicleta Michaux “bone-shaker”, esta máquina era propulsionada por um pequeno motor Perreaux a vapor. Os pedais foram mantidos como no modelo simples de bicicleta. Este veículo ainda existe e encontra-se no Museu da Ile de France, em Paris e foi recentemente exposto no Museu Guggenheim de Nova Iorque no âmbito da exposição "The Art of the Motorcycle". Foi construída, ainda, uma versão em triciclo deste modelo.

000c3b5w

Figura 8.Michaux-Perreaux, 1868-1869

1869-Velocípede a vapor de Roper,

Estados Unidos.

O escritor Allan Girdler relata-nos a existência de Sylvester Roper, nascido em 1823 no Novo Hampshire. Durante a Guerra Civil Americana, Roper trabalhava na Fábrica de Armas de Springfield onde se começou a interessar pelos motores a vapor. Em 1868, Roper construiu um motociclo propulsionando a vapor. O veículo de Roper assemelhava-se a uma bicicleta de rodas iguais e tinha acoplado verticalmente um pequeno motor a vapor que accionava duas bielas exteriores ligadas à roda traseira. Este veículo encontra-se exposto no Museu Smithsonian em Washington. D.C.
000c4pq4 
       Figura 9. Roper 1869  

000c5q74 

     Figura 10. Roper 1886                                    Figura 11. Roper de 1894

 
A última corrida de Roper
Quando Sylvester Roper, aos 73 anos de idade, exibiu numa pista de bicicleta em Bóston uma máquina que ele inventou – uma motocicleta com motor a vapor – os jovens vitoriosos que corriam de bicicleta riram.
Estava este velho homem guiando um estranho aparelho e queria competir com os vencedores locais na pista one-third-mile Charles River Park.
E até que a corrida começasse, os competidores não percebiam que aquele velho homem aparecera com algo realmente espectacular.
Naquele primeiro dia de Junho de 1896, Roper deu três voltas, percorrendo a distância em pouco mais de dois minutos para uma média de velocidade de aproximadamente 30 milhas por hora (48,28 km/h). Então tentou ser rápido ainda. Apenas uma semana antes ele marcara uma milha na Dorchester Avenue e completou-a com uma velocidade média de aproximadamente 40 milhas por hora (64,37 km/h).
O jornal The Boston Daily Globe noticiou o trágico evento que ocorreu: “A máquina estava diminuindo o vigoroso ritmo do início da corrida quando os homens que se sentavam próximo dos quarteirões de treino notaram que a bicicleta estava instável,”o jornal dizia. “A roda dianteira tremeu, e de repente, a motocicleta foi atirada para fora da pista, girando e projectando o motociclista”.
“Todos correram para ajudar o inventor, que caiu inerte ao lado da roda, mas assim que lhe tocaram, perceberam que a sua vida estava extinta,” acrescentou o jornal. “O Dr. Welcott foi chamado e após um exame no local, deu a opinião que o Sr. Roper morrera antes da motocicleta deixar a pista.”
Mais tarde, foi determinado que um ataque de coração matou Roper, que nos deixou o legado de uma motocicleta com motor a vapor que começara aproximadamente três décadas antes, construída em 1869, aproximadamente 20 anos antes que Gottlieb Daimler houvesse criado a primeira motocicleta com combustão interna, cujo proprietário actual é Robert Boudeman de Richland, Michigan, e está em exposição no The Motorcycle Hall of Fame Museum.
No desenho final, a máquina de Roper possuía um motor de caldeira a vapor um quadro Columbia High Frame de bicicleta de competição, totalizando o conjunto, um peso a seco de 150 Libras, capaz de atingir uma velocidade superior a 40 mph.
O inventor gostava de dizer sobre a sua bicicleta, “Ela pode subir em qualquer montanha e ultrapassar qualquer cavalo.”

publicado por Cavalo Alado às 18:40
link do post | comentar | favorito

Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30